0184  matéria(s) localizada(s) . Exibindo página 1  
29/6/2020
O BOM E O AGRADÁVEL
Acadêmico: Gabriel Chalita

Como é bom ver novamente o mar! Como é bom sentir o infinito soprando minhas memórias!
15/6/2020
VIDA INTERIOR
Acadêmico: Gabriel Chalita

Sou madrugador. Acordo o dia, enquanto limpo, de mim, qualquer amargura.
1/6/2020
OBRIGADO, MÃE!
Acadêmico: Gabriel Chalita

O dia da despedida foi delicadamente triste. A noite já cobria o mundo, quando ela deixou de respirar.
27/5/2020
FELICIDADE É VERBO
Acadêmico: Gabriel Chalita

Não me venha um apressado dizer que felicidade não é verbo, que é substantivo. Eu sei a diferença. Mas quero pensar que a felicidade é verbo.
19/5/2020
NÃO MATEM MEU FUTURO!
Acadêmico: Gabriel Chalita

Sou aluna de escola pública desde sempre. E, desde sempre, defendo meus professores. E, desde sempre, me embalo na certeza de que o que faço, hoje, é porta que abre o meu amanhã.
6/5/2020
MÃE, EU TE AMO
Acadêmico: Gabriel Chalita

Os silêncios desses dias nos convidam a elevar um pensamento de amor no dia em que se celebra o amor.
6/5/2020
SILENCIOSO ANIVERSÁRIO
Acadêmico: Gabriel Chalita

As badaladas do sino da Igreja, perto de casa, rasgam o silêncio. Antes de morar na grande cidade, vivia os dias em um interior, entre montanhas. Também lá, ouvia sinos. Também lá, a Igreja me apontava para o Céu e me lembrava o essencial.
27/4/2020
MINHA FILHA
Acadêmico: Gabriel Chalita

"Foi ontem, por isso estou ainda anuviado. Um sorriso lindo, um pedido de amor e uma desatenção. É assim que me lembro. Sei que posso corrigir. Há muito a ser escrito em nossa história. Mas é bom que eu sofra e que, sofrendo, aprenda. É assim que vejo o sofrimento, uma escola para lapidar a alma."
6/4/2020
ESTOU EM CASA
Acadêmico: Gabriel Chalita

Estou em casa. Sozinho, com um monte de pensamento que, há tempo, não pensava. O tempo agora é outro. O que faço é acordar e me fazer companhia. Rabisco ideias em mim, revisito dias em que estava acompanhado e me alimento da esperança de que o tempo vai me levar a algum lugar.
16/3/2020
PARA ONDE OLHO
Acadêmico: Gabriel Chalita

Faz algum tempo que estou por aqui. Sou bem tratada. Médicos e enfermeiros se desdobram para que eu volte a ser quem, um dia, eu fui.
11/3/2020
UM LONGO SOLUÇO
Acadêmico: Gabriel Chalita

Não sei, exatamente, a causa, embora tenha pesquisado com vagar. Li o que pude. Perguntei para pessoas que, prontamente, deram todo tipo de orientação. E fui seguindo uma a uma. Sem pestanejar.
2/3/2020
AS CINZAS DE TODO DIA
Acadêmico: Gabriel Chalita

Saudade é um sentimento que abre a alma. Definitivamente. É como se o presente me trouxesse obrigações de fechamento. É como se a árvore, sabedora de tantos afazeres, de sombras, de pássaros descansantes, de flor e fruto, se esquecesse da raiz. A saudade é a lembrança da raiz. De onde vem o nosso alimento, dos alicerces da nossa construção. Saudade do meu pai e de seus dizeres que acalmavam o dia.
26/2/2020
AMOR DE CARNAVAL
Acadêmico: Gabriel Chalita

Conheço o Roberto, há algum tempo. Estudamos juntos. Choramos juntos os primeiros percalços do amor. As adolescências e os "nãos" dolorosos. Lembro-me, como se fosse hoje, dos seus olhos de lágrima e do seu peito de ausências, quando Camila disse que era outro o seu amor.
11/2/2020
LAVANDO AS IDEIAS
Acadêmico: Gabriel Chalita

Sou eu mesma quem abre o salão. E não é de hoje. Desde os primeiros dias, quando ainda brincava nos primeiros cortes das primeiras amigas que se arriscavam comigo. Hoje, tenho duas assistentes. Que cortam com afinco. Foram aprendendo. Como tudo na vida, o tempo vai limpando os exageros e deixando o que importa.
3/2/2020
RASGO NA ALMA
Acadêmico: Gabriel Chalita

Solange e eu tivemos dois filhos. Um se foi, ainda pequeno. Ainda empalideço, quando remexo no dia em que o médico nos olhou, no hospital, e soltou umas palavras dizendo o que eu nunca gostaria de ter ouvido.
27/1/2020
A DESPEDIDA DO OLHAR
Acadêmico: Gabriel Chalita

"Nos olhamos, ontem, pela última vez. Quando ele chegou, tão pequeno, eu não imaginava o quanto aquele olhar marcaria minha vida."
16/12/2019
A LONGA TRAVESSIA
Acadêmico: Gabriel Chalita

"Será que alguém vai me ajudar? Nessas épocas, é gente demais atravessando. E o tempo é curto. Quando se vê, já fechou. E é preciso esperar. Esperar para que se abra novamente."
9/12/2019
ANIVERSÁRIO DO MEU PAI
Acadêmico: Gabriel Chalita

"É mais um dia de aniversário. E ele não está. Já se foi há algum tempo. Meu pai não mora comigo, nem em casa nenhuma. Mora onde moram aqueles que esculpiram vidas com a própria vida. Era ele um cuidador de gentes. Se há moradas na casa do Pai, preparadas para quem amou, é lá que ele está. E é aqui, também. Em um turbilhão de recordações. De ditos que ainda ecoam dentro de mim."
26/11/2019
GRITOS DE INSENSATEZ
Acadêmico: Gabriel Chalita

"Fui com minha esposa a um restaurante, aqui, bem perto de onde nos construímos. Fazemos isso, de quando em vez, e gostamos."
18/11/2019
RECORDAR
Acadêmico: Gabriel Chalita

"Faz quase nada que aprendi o significado desta palavra. Aprendi de ouvir. Tenho esta compreensão da vida: ouvir!"
5/11/2019
A IRMÃ MORTE
Acadêmico: Gabriel Chalita

"Era Francisco, o santo de Assis, que chamava a morte de irmã. Demorei para entender o que ele queria dizer."
29/10/2019
O FIO DO AMOR
Acadêmico: Gabriel Chalita

Minha avó gastava parte do dia com as agulhas e o fio de novelo preparando calor. Com seu tricô, viajava nas imaginações e nos fazia blusas, cachecóis, mantas, gorros e o que julgasse necessário para espantar o frio. E fazia com o prazer consciente de quem já sabia que a vida não dá tréguas e que é a coragem que nos faz compreender que aquecer os outros é nosso melhor propósito.
21/10/2019
DULCE MÊS DE OUTUBRO
Acadêmico: Gabriel Chalita

"Irmã Dulce é, agora, santa. Agora, não. Sempre foi. Mesmo imperfeita como todos os humanos. Mesmo caminhante de um barro empoeirado que nos faz chorar choros doídos."
16/10/2019
MEMÓRIAS CONSTRUÍDAS
Acadêmico: Gabriel Chalita

"Tenho saudade do mar. Tenho saudade da primeira impressão que tive diante do mar."
30/9/2019
JANELA DO MUNDO
Acadêmico: Gabriel Chalita

Da janela, vejo a pressa e a calmaria. Vejo as grosserias e a gentileza. Fotografo em mim as cenas belas. É com elas que gosto de sonhar.
 1    2     3     4     5     6     7     8   





 
Largo do Arouche, 312 / 324 • CEP: 01219-000 • São Paulo • SP • Brasil • Telefone: 11 3331-7222 / 3331-7401 / 3331-1562.
Imagem de um cadeado  Política de privacidade.