cadeira 1
José Joaquim Machado de Oliveira

BRIGADEIRO José Joaquim MACHADO DE OLIVEIRA (1792-1867)

Fundador: BRASÍLIO Augusto MACHADO de Oliveira (1848-1916)
1º presidente da Academia (1909)

cadeira 2
Visconde de São Leopoldo

VISCONDE DE SÃO LEOPOLDO (José Feliciano Fernandes Pinheiro, 1774-1847)

Fundador: Antônio DINO da Costa BUENO (1854-1931)
cadeira 3
Matias Aires

MATIAS AIRES (Ramos da Silva dEça, 1705-1770).

Nasceu a 27 de março de 1705, em São Paulo (SP), foi o primeiro filósofo brasileiro.

Filho de José Ramos da Silva e de D. Catarina dHorta, Matias Aires foi alfabetizado por jesuítas no Pátio do Colégio, centro velho da cidade de São Paulo. Aos doze anos, mudou-se com sua família para Lisboa. Em Portugal fez o curso de humanidades no Colégio Santo Antão. Prosseguiu os estudos na Universidade de Coimbra e recebeu o grau de mestre em artes. Tranleia mais [ + ]
cadeira 4
José de Anchieta

Nasceu na ilha de Tenerife (S. Cristóvão da Laguna) (Espanha), a 19 de março de 1534, filho de João de Anchieta, espanhol, e D. Mancia Diaz de Clavijo y Slarena. Educou-se na Universidade de Coimbra para a qual ingressou aos 14 anos, e inscreveu-se na Companhia de Jesus, sempre considerado por suas virtudes e o caráter impoluto. Gravemente enfermo, contraiu deformação na espinha dorsal. julgaram os médicos que seria conveniente mandá-lo ao Brasil, para onde veio, a 8 de maio de 1553, com 19 anosleia mais [ + ]
cadeira 5
Eduardo Paulo da Silva Prado

Nasceu em São Paulo (SP) a 27 de fevereiro de 1860, filho de Martinho da Silva Prado e D. Veridiana Valéria da Silva Prado. Bacharelou-se pela faculdade de Direito de São Paulo, em 1881. Viajou pelas cinco partes do mundo. Amigo íntimo de Eça de Queirós. Nos últimos anos retirou-se para a fazenda do Brejão, entre os rios Mogi-Guaçu e Pardo. Um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, Cadeira nº 40, patrono Visconde do Rio Branco.

Deixou as seguintes obras: A Ilusão Americana, 2ª ed., leia mais [ + ]
cadeira 6
José Vieira Couto de Magalhães

Nasceu em Diamantina (MG). Concluído o curso secundário, matriculou-se na Escola Militar do Rio de Janeiro. Veio para São Paulo (SP), onde se matriculou na Academia de Direito, no Largo de São Francisco. Colaborou na Imprensa.

Lecionou filosofia no Mosteiro de São Bento. Viveu algum tempo na Inglaterra. Quanto ao índio, visitou mais de 100 aldeias, constituindo 10 nações indígenas, e conheceu, cerca de 30 tribos. Com os conhecimentos que adquiriu, escreveu, além de um Curso de Gramática Tupi,leia mais [ + ]
cadeira 7
José Bonifácio de Andrada e Silva

(o Moço)

Nasceu em Bordéus (França) durante o exílio paterno, a 8 de novembro de 1827.

Filho de Martim Francisco Ribeiro de Andrada (1º) e de D. Gabriela Frederica de Andrada; sobrinho e neto de José Bonifácio, o patriarca da Independência. Deixou as seguintes obras: Rosas e goivos, poesias, 1848; Memória histórica dos acontecimentos da Faculdade de Direito de São Paulo em 1858, SP; Discursos parlamentares, Rio, 1880; Poesias, com uma notícia biográfica, Rio; Poesias, contidas na Lira Populeia mais [ + ]
cadeira 8
Bárbara Eliodora Guilhermina da Silveira Bueno

Nasceu em 1794, em Minas Gerais. Filha do Dr. José da Silveira e Souza e D. Maria Josefa da Cunha, esposa de Inácio de Alvarenga Peixoto. Ignora-se o lugar certo onde nasceu.

Pretendem alguns que fosse paulista, outros afirmam que viu a luz do dia em São João dEl-Rei ou Campanha (MG). Distinguia-se, em São João dEl-Rei, por sua beleza impecável e por seu espírito bem dotado. Quando o Dr. Inácio José de Alvarenga, ouvidor-geral da comarca de Rio das Mortes, a conheceu, logo se apaixonou, contrleia mais [ + ]
cadeira 9
Álvares de Azevedo

Nasceu em São Paulo (SP), a 12 de setembro de 1831, filho do Dr. lnácio Manuel Álvares de Azevedo e D. Maria Luíza da Mota Azevedo. Segundo afirmam seus biógrafos, nasceu na sala da biblioteca da Faculdade de Direito de São Paulo.

Quem primeiro contestou essa versão, foi Almeida Nogueira nas Tradições e reminiscências (vol. 7º), garantindo que o poeta viu a luz do dia em uma sala da rua São Gonçalo, quase ao desembocar no Largo da Sé. Averiguou-se, porém, que ele nasceu em casa do avô maternoleia mais [ + ]
cadeira 10
Cesário Mota Junior

O Dr. Cesário Motta Júnior, ilustre educador, médico, político e maçom nasceu na propriedade rural denominada "Sítio Grande", em Porto Feliz, São Paulo, no dia 05 de março de 1.847.

Era filho de Cesário Nazianzeno de Azevedo Motta Magalhães e de Dona Clara Cândida Nogueira da Motta.

Nasceu em meio a uma festividade, quando sua família encontrava-se em visita à casa de dona Ana Inocência de Camargo, viúva de Antônio Rodrigues de Campos Leite, falecido durante a revolução liberal de 1.842.
leia mais [ + ]
cadeira 11
Bartolomeu Lourenço de Gusmão

Em dezembro de 1685, nascia na então Vila de Santos, em São Paulo, filho de Francisco Lourenço, cirurgião-mor do Presídio da Vila de Santos, litoral paulista, e de sua mulher Maria Alvares. Rapaz brilhante, de ideias avançadas para sua época, logo se destacou. Fez os estudos primários em Santos, seguiu para o Seminário de Belém (Bahia), a fim de completar o Curso de Humanidades, vindo a filiar-se à Companhia de Jesus, sob a orientação do grande amigo de seu pai e fundador daquele Seminário, Padrleia mais [ + ]
cadeira 12
Paulo Egydio de Oliveira Carvalho

Nasceu em Bananal, São Paulo, a 2 de setembro de 1843.

Filho do coronel Manuel Francisco de Carvalho e D. Maria Senhorinha de Oliveira.

Já nos bancos acadêmicos manifestaram-se seus dons oratórios, bem como o pendor intelectual. Concluiu o curso de Direito na Faculdade de São Paulo em 1865, dedicando-se ao jornalismo e à política.

Promotor de Justiça, advogado, jornalista, exerceu mandato de deputado provincial, de 1870 a 1879, elegendo-se, com a República, para a Assembléia Constituintleia mais [ + ]
cadeira 13
Alexandre de Gusmão

Nasceu em Santos (SP), a 31 de dezembro de 1695, filho do cirurgião-mor Francisco Lourenço de Gusmão e D. Maria Álvares; irmão de Bartolomeu Lourenço de Gusmão, o Padre Voador. Afilhado do jesuíta Alexandre de Gusmão, autor da História do Predestinado Peregrino e de Seu Irmão Precito (1685), ingressou em 1713, após estudar com os jesuítas da Bahia, na Universidade de Coimbra, onde permaneceu até 1719. Designado por D. João V, Secretário do Conde de Ribeira Grande, Embaixador Extraordinário juntoleia mais [ + ]
cadeira 14
Martim Francisco Ribeiro de Andrada

Nasceu em Santos (SP), a 25 de junho de 1775, filho de Bonifácio José de Andrada e D. Maria Bárbara da Silva. Irmão de Antônio Carlos e José Bonifácio. Graduado em Matemática pela Universidade de Coimbra a 27 de julho de 1798; tem, como membro da Trindade da Independência, seu nome e sua história em comum com a própria história da Pátria.

Voltando ao Brasil, empenhou-se na política e na administração do Reino, da Província de São Paulo e do Império, de cujo primeiro Ministério participou, na leia mais [ + ]
cadeira 15
Luis Gonzaga Pinto da Gama

Nasceu a 21 de junho de 1830, em Salvador (BA), filho de uma negra africana, Luísa Mahin, e de um fidalgo baiano de origem portuguesa pertencente a uma das famílias mais abastadas da região.

Foi vendido como escravo pelo pai, levado ao Rio de Janeiro e, posteriormente, para São Paulo, onde aprendeu as primeiras letras. Liberto, iniciou carreira repleta de percalços, pelo seu espírito rebelde. Concedida baixa no serviço militar, por insubordinação, e demitido do serviço público como amanuense leia mais [ + ]
cadeira 17
Américo Campos

Nasceu em Bragança (SP), a 12 de agosto de 1838.

Filho do Dr. Bernardino de Campos e D. Felisbina Gonçalves de Campos. Residiu em Minas Gerais, onde permaneceu com a família, até 1844 ou 1845.

Voltou para São Paulo, fixando-se em Campinas, onde fez os estudos primários e foi condiscípulo e amigo de Carlos Gomes. Aos 10 anos, sendo grande o aproveitamento nos estudos, o pai obrigou-o a estudar francês e latim, o que não o impediu de dedicar-se à música. Bacharel pela Faculdade de Direito deleia mais [ + ]
cadeira 17
Júlio César Ribeiro


cadeira 18
Antonio de Toledo Piza e Almeida


cadeira 19
Antônio Joaquim da Rosa

(Barão de Piratininga), nasceu em São Roque (SP), em fins de 1820.

Estudou as primeiras letras no lar paterno e Humanidades em Sorocaba (SP). Abandonou os estudos para dedicar-se ao comércio e à política. Deputado em várias legislaturas, desde a juventude revelou vocação para as letras. Escreveu o primeiro livro, em 1849, com o título de A feiticeira. Colaborou no Diário Mercantil, Correio Paulistano, Jornal do Comércio, Almanaque Literário de São Paulo, Revista dos Novos e outros. Faleceu a leia mais [ + ]
cadeira 20
José Ezequiel Freire de Lima

Nasceu em Rezende (RJ). Iniciou-se como cronista e poeta em jornais e revistas fluminenses e cariocas. Em São Paulo, bacharelou-se em Direito; dedicou-se à magistratura, sendo juiz em Araras. Na capital, dedicou-se ao magistério no curso anexo da Faculdade de Direito. Precursor do simbolismo, graças ao livro Flores do Campo.

Vivia recluso na mansão da Rua da Consolação, entre poucos amigos, um jardim no qual aclimatava plantas exóticas, vasta biblioteca e peças de arte oriental. Nos pulmões, leia mais [ + ]
cadeira 21
Antônio Carlos Ribeiro de Andrada Machado e Silva

Nasceu em Santos (SP), a 1º de novembro de 1773.

Fez estudos primários nessa cidade e o secundário em São Paulo (SP), com o Bispo Frei Manuel da Ressurreição e os superiores na Universidade de Coimbra, onde se bacharelou em Direito.

Foi juiz em Santos (SP), Ouvidor em Olinda (PE), Desembargador da Relação da Bahia. Em 1817, foi membro do Governo Provisório de São Paulo e em 1821 elegeu-se deputado às Cortes Portuguesas, onde defendeu a causa da libertação e independência do Brasil. Em 1823leia mais [ + ]
cadeira 22
João Pereira Monteiro Júnior

Nasceu no Rio de janeiro (RJ), a 16 de maio de 1845.

Seu pai exerceu funções de porteiro dos auditórios da Corte do Rio de Janeiro. Aos 7 anos, começou a estudar.

Terminado o secundário, resolveu cursar Direito. Demandou São Paulo em 1867, matriculando-se na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. A turma do 3º ano constituía-se de nomes que, mais tarde, fulgurariam na vida nacional: Rui Barbosa, Joaquim Nabuco, Castro Alves, e dois futuros presidentes da República: Rodrigues Alvesleia mais [ + ]
cadeira 23
Monsenhor Manuel Vicente

Manuel Vicente Montepoliciano da Silva nasceu em Antonina (PR), a 8 de março de 1851.

Realizou os estudos preparatórios na cidade natal e, em 1871, matriculou-se no Seminário Episcopal de São Paulo. Ordenou-se sacerdote e lecionou retórica, português e outras matérias. Como secretário particular do bispo do Maranhão, D. Antônio Cândido de Alvarenga, acompanhou-o a São Luís (MA), e lá residiu em 1878-79. Regressando a São Paulo (SP), foi professor e vice-reitor do Seminário Episcopal, Presbíteleia mais [ + ]
cadeira 24
Quirino dos Santos

Nasceu em Campinas (SP), a 14 de julho de 1841, filho do major Joaquim Quirino dos Santos e D. Maria Francisca de Paula Santos.

Aos nove anos ingressou na escola, freqüentando-a apenas oito meses. Levado para uma fazenda, às margens do Atibaia, entregou-se à leitura. Aos 12 anos, escreveu uma sátira, após ler, a par com histórias de cavalaria, Werther e uma coleção de versos em que figuravam os de Gonçalves Dias, João de Deus e outros. De 1855 a 1859 fez em São Paulo os preparatórios para matleia mais [ + ]
cadeira 25
Visconde de Porto Seguro

Nasceu Francisco Adolfo de Varnhagen a 17 de fevereiro de 1810, em São João de Ipanema, Sorocaba (SP), e faleceu a 29 de junho de 1878, em Viena, Áustria, como Ministro plenipotenciário do Brasil. Os restos mortais foram trasladados, em 1978, para sua cidade natal. De 1825 a 1R32, cursou o Real Colégio da Luz, em Portugal.

Alistando-se nas tropas de D. Pedro IV, em 1833, foi promovido a 29 Tenente de Artilharia e, em 1837, a 19 Tenente. Em 1938, descobriu o túrnulo de Pedro Alvares Cabra 1 noleia mais [ + ]
cadeira 26
Martins Fontes


cadeira 27
Conselheiro Ramalho


cadeira 28
Caetano de Campos


cadeira 29
Paulo Eiró


cadeira 30
Diogo Feijó


cadeira 31
Rangel Pestana


cadeira 32
Ezequiel de Paula Ramos

Nasceu em Bananal, (SP), em 1846, e faleceu em São Paulo (SP), a 24 de março de 1905. Doutor em Direito pela Faculdade de São Paulo, onde se graduou a 2 de maio de 1867; advogado em Limeira (SP), onde foi chefe do Partido Liberal. Senador estadual.
cadeira 33
Teófilo Dias

Nasceu em Caxias (MA), a 28 de fevereiro de 1857.

Sobrinho do poeta Gonçalves Dias, publicou em 1874 o livro de poesia Flores e Amores.

Viveu alguns anos em Belém do Pará e depois transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde, no Convento de Santo Antônio, passou a ocupar a cela que fora de Monte Alverne. Publicou, ainda, os seguintes trabalhos: Cantos Tropicais, 1878; Lira dos Verdes Anos, 1878, e Paniarras, 1888.

Faleceu em 1889, aos 32 anos.
cadeira 34
Pedro Taques


cadeira 35
Antonio de Godoi Moreira da Costa


cadeira 36
Euclides da Cunha


cadeira 37
João Mendes


cadeira 38
Clemente Falcão de Souza Filho


cadeira 39
Gabriel José Rodrigues dos Santos


cadeira 40
José Bonifácio (O Patriarca)


 1  





 
Largo do Arouche, 312 / 324 • CEP: 01219-000 • São Paulo • SP • Brasil • Telefone: 11 3331-7222 / 3331-7401 / 3331-1562.
Imagem de um cadeado  Política de privacidade.