cadeira nº 8
JOÃO DE SCANTIMBURGO

Patrono: Bárbara Eliodora Guilhermina da Silveira Bueno
Aniversário: 31/10/1915
Data de posse: 18/5/1977

João de Scantimburgo nasceu em Dois Córregos, a menos de 300 Km de São Paulo. Mas foi em Rio Claro que cresceu, freqüentou o grupo escolar, isto é as primeiras letras, e, em seguida, o Instituto Joaquim Ribeiro, curso secundário, ou como se denominava, bacharel em ciências e letras. Terminou os estudos em 1932. Depois de concluído o curso secundário, ficou, ainda, em Rio Claro, como secretário do industrial Humberto Cartolano, superintendente da grande firma Caetano, Castelano & Cia., uma espécie de precursora dos supermercados, pois ali se encontrava de tudo de que se precisasse e que era produzido ou importado. Permaneceu na cidade até que Humberto Cartolano lhe entregou a direção, e isto em 1 de setembro de 1939, do jornal diário "Cidade de Rio Claro". Ocupou a direção do jornal até janeiro de 1940, quando apresentou seu pedido de demissão, fez as malas e partiu para São Paulo.
Seu início na capital foi duríssimo. Ocupou vários cargos banais, sem nenhuma possibilidade de galgar posição melhor. Foi, então, procurar um industrial nascido em Rio Claro e pediu um emprego. Esse industrial era o comendador José Pires Oliveira Dias, proprietário de um dos mais importantes laboratórios de produtos farmacêuticos do Brasil e, também, da Rádio Bandeirantes. Na Rádio Bandeirantes trabalhou de 1940 a 1943, quando a emissora foi vendida. Posteriormente conheceu o jornalista Abner Mourão, diretor do "O Estado de São Paulo", na época ocupado pela ditadura de Getúlio Vargas. Logo foi convidado a colaborar no jornal. Aceitou e principiou a escrever, começando, portanto, a fazer nome. Também colaborou no "Diário de S. Paulo", onde, após dois anos, integrou o grupo de diretores daquele grande jornal. Com alguns sócios comprou um canal de televisão, o 9, Excelsior. Dirigiu o "Diário do Comércio", da Associação Comercial de São Paulo. Também teve seu próprio jornal, o "Correio Paulistano", que durou seis anos. Em 1977, candidatou-se à Academia Paulista de Letras, na cadeira número oito; venceu por 33 votos. Em 1992, passou a integrar a Academia Brasileira de Letras. Colaborou na Revista Brasileira, publicação da ABL.

Livros publicados:

O destino da América Latina - a democracia na América Latina, Companhia Editorial Nacional.

A crise da República Presidencial - Livraria Pioneira Editora.

A Extensão Humana - Introdução à Filosofia da Técnica, Companhia Editora Nacional e Editora da Universidade de São Paulo.

Tratado Geral do Brasil - Companhia Editora Nacional e Editora da Universidade de São Paulo, Livraria Pioneira Editora, (2ª edição) São Paulo. Editora LTr (3ª edição).

José Ermírio de Moraes - O homem e a obra, Companhia Editora Nacional, São Paulo, e Livraria José Olympio Editora (2ª edição) Rio de Janeiro.

Ilusões e Desilusões do Desenvolvimento - Editora Comercial, São Paulo.

Concepção Cristocêntrica da História - Editora Revista dos Tribunais, São Paulo.

O Problema do Destino Humano, segundo a filosofia de Maurice Blondel, Editora Convívio, São Paulo.

O Café e o Desenvolvimento do Brasil - Companhia Melhoramentos Editora, São Paulo.

O Poder Moderador, História e Teoria - Livraria Pioneira Editora, São Paulo

Interpretação de Camões, à luz de Santo Tomás de Aquino, Companhia Melhoramentos e Editora da Universidade de São Paulo.

A Filosofia da Ação, Síntese do blondelismo - Editora Digesto, São Paulo.

O Segredo Japonês - Instituto Brasileiro de Altos Estudos, IBRAE, São Paulo.

Os Paulistas - evolução social, política e econômica do povo paulista, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo.

Gastão Vidigal e seu Tempo - Fundação Gastão Vidigal, São Paulo.

O Brasil e a Revolução Francesa - Livraria Pioneira Editora, São Paulo.

O Drama Religioso de Rui Barbosa - Fundação Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro.

Memórias da Pensão Humaitá - Companhia Editora Nacional, São Paulo.

Eça de Queiroz e a Tradição - Editora Siciliano, São Paulo.

História do Liberalismo no Brasil - Editora LTr, São Paulo.

Introdução à Filosofia de Maurice Blondel, Instituto Brasileiro de Filosofia, secção de São Paulo.

No Limiar de Novo Humanismo - Academia Brasileira de Letras.

A Empresa Moderna no Brasil - Digesto Econômico, São Paulo.

Galeria de Retratos - Academia Brasileira de Letras.

O Mal na História - Os totalitarismos do século XX - Editora LTr, São Paulo.

O governo colegiado de D. Pedro II e o governo unipessoal dos presidentes da República (Ensaio).

Amanhã o ano 2000 - Editora LTr, São Paulo.

A Extensão Humana - Introdução à Filosofia da Técnica, Editora LTr, São Paulo.

A Crise da República Presidencial - Editora LTr, São Paulo.

Os olivais do crepúsculo (romance) - Editora LTr, São Paulo.

Os Paulistas - Editora LTr, São Paulo.






voltar



 
Largo do Arouche, 312 / 324 • CEP: 01219-000 • São Paulo • SP • Brasil • Telefone: 11 3331-7222 / 3331-7401 / 3331-1562.
Imagem de um cadeado  Política de privacidade.